Fundado em 24/09/1938 – Na Internet desde 31/07/2000

 

dpedro2

D. Pedro II, o “augusto Patrono” (Estatutos de 24/09/1938) “Dormi. Sonhei muito. Uma história universal até ontem.” (Diário do Imperador D. Pedro II, 1840-1891, vol. 27, CD-Rom, Organização Begonha Bediaga, Museu Imperial, 1999)

Casa de Cláudio de Souza
Praça da Liberdade, 247
Vila Imperial
25685-050 Petrópolis, RJ
Brasil


Site implantado por decisão da Assembléia Geral realizada a 10/04/2000, aprovando proposta do Presidente Jeronymo Ferreira Alves Netto.

Dominio www.ihp.org.br criado a 25/04/2000 na FAPESP.

contato: ihp@ihp.org.br

 

 

INFORMAÇÕES ESPECIAIS

INFORMAÇÕES ESPECIAIS (24/09/2018)

Próxima reunião: 08/10/2018, 19h00, com palestra da Associada Titular VERA SALOMONI ABAD. Ver “Agenda”

 

(08/09/2018) COLUNA “IHP EM CENA” (Tribuna de Petrópolis, 05.09.2018).

MUSEU NACIONAL

 

“É preciso formar no Rio uma coleção semelhante das riquezas do Brasil e em cada capital de Província outras das respectivas.” (Diário de D. Pedro II, v. 17, 1876. Museu Imperial).

 

Frases como esta são frequentes na correspondência do imperador D. Pedro II que durante toda a sua vida se dedicou ao estudo das ciências e ao colecionismo de documentos e objetos, dando origem ao seu Museu particular, que funcionou no Paço de São Cristóvão onde nasceu e morou até ser exilado do Brasil.

 

Do exílio, D. Pedro de Alcântara enviou ao procurador da Família Imperial, José da Silva Costa, em 8 de junho de 1891, meses antes de morrer, uma carta doando a sua coleção particular ao Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Biblioteca Nacional e Museu Nacional. Nela fez um único pedido, que as coleções fossem denominadas “Imperatriz Leopoldina” e “D. Teresa Christina Maria”, em homenagem respectivamente a mãe e a esposa:

 

” Sñr. Silva Costa
Queira pedir em meu nome ao Visconde de Taunay, Visconde de Beaurepaire, Olegario Herculano de Aquino e Castro, e Dr. João Severiano da Fonseca que separem os meus livros podendo por sua especialidade interessar ao Instituto e h’os entreguem, a fim de serem parte de sua bibliotheca. Esses livros serão collocados em lugar especial com a denominação de D. Thereza Christina Maria. Os que não deverem pertencer ao Instituto offereço-os á Bibliotheca Nacional, que deverá collocal-os também em lugar especial com a mesma denominação.
O meu Museu dou-o também ao Instituto Historico, no que tenha relação com a etnographia e a historia do Brasil. A parte relativa ás sciencias naturaes, e á mineralogia sob o nome de “Impera-/triz Leopoldina”, como todos os herbarios, que possão, fica para o Museu do Rio.
A corôa imperial, a espada e todas as joias deverão ser entregues, e pertencer á minha filha.
Espero que me dê noticias suas e dos seus sempre que possa, e creia na estima affectuosa de D. Pedro d’Alcantara
Versailles, 8 de Junho de 1891.”

 

 

Em seu “ofício de fé”, escrito pouco antes de morrer, menciona a importância do Museu Nacional para o desenvolvimento científico do Brasil e sublinha os seus esforços para a revitalização e modernização da instituição, como a criação do laboratório de fisiologia experimental. Mas infelizmente os sucessivos governos não entenderam o legado do ex-imperador.

 

Nesse momento de dor, angústia e decepção, o Instituto Histórico de Petrópolis manifesta a sua solidariedade ao Museu Nacional e a todos os pesquisadores pela perda irreparável desse patrimônio que serviu e serviria como fonte de pesquisas para os seus trabalhos acadêmicos.

 

Como instituição que tem como objetivo a preservação da memória, o Instituto Histórico de Petrópolis também se irmana a todos os brasileiros na profunda tristeza pela tragédia que foi a perda de praticamente vinte milhões de itens museológicos, documentais e bibliográficos de valor inestimável.

 

INFORMAÇÕES GERAIS

Para acesso à versão com o conteúdo até julho de 2015, clique aqui. 

Existe agora um servidor dedicado que permite navegar por todo o conteúdo anterior. Caso seja encontrada alguma quebra de link, favor comunicar o fato, para pronta correção.

738 textos constantes de “Trabalhos” no conteúdo até julho de 2015.  Todos os textos serão pouco a pouco transferidos para a versão atual.

Últimos trabalhos acrescentados ao acervo; os respectivos links se acham em “Trabalhos”:

20/02/2017:
Incluído: (texto 756)

D. PEDRO II, NOSSO ÍCONE
de Joaquim Eloy Duarte dos Santos

19/02/2017:
Incluído: (texto 755)

ÚLTIMA FRONTEIRA DO GLAMOUR EM PETRÓPOLIS
de Francisco José Ribeiro de Vasconcellos

19/01/2017:
Incluídos: (textos 753 e 754)

SABEDORIA
de Joaquim Eloy Duarte dos Santos

SANTA CECÍLIA, 120 ANOS DE MÚSICA
de Joaquim Eloy Duarte dos Santos

26/11/2016:
Incluídos: (textos 751 e 752)

PROCESSO DE INDEXAÇÃO DOS JORNAIS OPERÁRIOS PETROPOLITANOS
de Oazinguito Ferreira da Silveira Filho

PETRÓPOLIS, A OUTRA! Um invisível universo operário
de Oazinguito Ferreira da Silveira Filho

Texto (750) incluído a 15/02/2016:

MEMORIAL DA RUA DO IMPERADOR
de Oazinguito Ferreira da Silveira Filho

Texto (749) incluído a 24/01/2016

DISCURSOS – INÍCIO GESTÃO 1983
de Ruth Boucault Judice

Texto (748) incluído a 22/01/2016:

RESGATES PETROPOLITANOS [ADRIEN DELPECH]
de Francisco José Ribeiro de Vasconcellos

Texto (747)

DAS OVELHAS AO PASTOR QUERIDO!
de Fernando Antonio de Souza da Costa

Texto (746) incluído a 10/01/2016:

SÍRIO-LIBANESES
de Antônio Izaías da Costa Abreu

Texto (745) incluído a 05/01/2016:

PERMANÊNCIA DO ESPORTE
de Joaquim Eloy Duarte dos Santos

Texto (744) incluído a 04/01/2016:

CARTA A MAURO
de Joaquim Eloy Duarte dos Santos

Texto (743) incluído a 31/12/2015:

RESGATES PETROPOLITANOS – AUGUSTO DE LA ROCQUE
de Francisco José Ribeiro de Vasconcellos

Texto (742) incluído a 30/12/2015:

CONTRIBUIÇÃO À HISTÓRIA SOCIAL PETROPOLITANA: PROSTITUIÇÃO NA COLÔNIA ALEMÃ (2009)
de Oazinguito Ferreira da Silveira Filho

Texto (741) incluído a 29/12/2015:

O CASAMENTO DO DR. THOUZET
de Elizabeth Maria da Silva Maller

Texto (740) incluído a 23/12/2015:

QUINTINO BOCAIUVA – O PATRIARCA DA REPÚBLICA
de Francisco José Ribeiro de Vasconcellos

Texto (739) incluído a 03/11/2015:

UMA PRINCESA ENTRE A CORTE E O MATO – THERESA DA BAVIERA
de Dom Carlos Tasso de Saxe-Coburgo e Bragança

 

Desenho do brasão de Petrópolis,
segundo a descrição heráldica oficial,
Manoel de Souza Lordeiro
(+ 21/07/2008)
Texto de Notícias (a partir de 2016)
Maria de Fátima Moraes Argon 

Texto de Efemérides
Jeronymo Ferreira Alves Netto
Composição do cabeçalho,
inserido em outubro de 2016,
Mário Lordeiro,
com reprodução da Planta de Koeler
e linha do tempo a partir
da localização
da Estrada Normal da Estrela
até o Alto da Serra,
sobre reprodução de
imagem fotográfica de trecho
da Serra dos Órgãos
Coordenação do site
Arthur Leonardo de Sá Earp
Comissão de Desenvolvimento:
Arthur Leonardo de Sá Earp
Jeronymo Ferreira Alves Netto
Patrícia Ferreira de Souza Lima

Manutenção e Hospedagem : SerraPlan Informática

Os textos são de exclusiva responsabilidade de seus autores.

 

brazao4MSL