Fundado em 24/09/1938 – Na Internet desde 31/07/2000

dpedro2

D. Pedro II, o “augusto Patrono” (Estatutos de 24/09/1938) “Dormi. Sonhei muito. Uma história universal até ontem.” (Diário do Imperador D. Pedro II, 1840-1891, vol. 27, CD-Rom, Organização Begonha Bediaga, Museu Imperial, 1999)

Casa de Cláudio de Souza
Praça da Liberdade, 247
Vila Imperial
25685-050 Petrópolis, RJ
Brasil


Site implantado por decisão da Assembléia Geral realizada a 10/04/2000, aprovando proposta do Presidente Jeronymo Ferreira Alves Netto.

Dominio www.ihp.org.br criado a 25/04/2000 na FAPESP.

contato: ihp@ihp.org.br

 

 

INFORMAÇÕES ESPECIAIS  (09/11/2019)

 

 

Faleceu o Associado Titular Jeronymo Ferreira Alves Netto
na madrugada de ontem, sexta-feira, 08/11/2019, no Hospital Unimed,
nesta cidade.

Sua Cadeira era a de número 15 – Patrono Estanislau Schaette.
Tomara posse no IHP em 1965.

 

O Instituto Histórico de Petrópolis convida V. Sa. e família

para a palestra “O legado da herança luso-afro-indígena”,

a ser proferida pelo economista Gastão Reis,

no dia 11 de novembro de 2019,

às 19 h, na Casa de Cláudio de Souza, Praça da Liberdade nº 247.

 

 

 

extrato de Efemérides (para ver o mês completo, consulte Efemérides em Categorias)
8 de novembro de 1934

Foi fundada a Associação Comercial e Industrial de Petrópolis. A Assembléia Geral convocada na oportunidade, foi presidida pelo Sr. Armando Couto Brito e secretariada pelos Senhores Luiz de Miranda Góes e Paulo Gouvêa. Após a discussão e aprovação dos Estatutos procedeu-se a eleição das Assembléias Deliberativas. Pelos relevantes serviços prestados, a ACIRP, pelo Ato Municipal n º 74, de 19 de julho de 1944, foi declarada de utilidade pública.

9 de novembro de 1905

Em visita a Petrópolis, D. Joaquim Arcoverde de Albuquerque Cavalcanti, arcebispo do Rio de Janeiro e primeiro cardeal brasileiro, foi recepcionado pelo barão do Rio Branco com um jantar ao qual compareceram altas autoridades.

A 16 de novembro do mesmo ano, D. Arcoverde viajou para Roma, onde foi recebido pelo Papa Pio X que o elevou a Cardeal, no dia 11 de dezembro.

D. Arcoverde tornava-se assim o primeiro Cardeal da América Latina, graças à ação diplomática do barão do Rio Branco, o qual entendia que o Brasil – católico, apostólico, romano – não podia deixar de ter representação na púrpura cardinalícia.

10 de novembro de 1721

Bernardo Soares de Proença requereu ao Governo uma sesmaria de terras devolutas existente atrás da Serra do Frade (Alto da Serra de Petrópolis) e Taucaia Grande, montes no extremo do terreno pertencente à Fábrica de Pólvora da Estrela. A 23 de março de 1725, recebeu o documento que o fez o primeiro proprietário de nossa região serrana, construindo a sede de sua fazenda no lugar denominado “Tamaraty”, hoje Itamarati. Bernardo Soares de Proença foi quem abriu a Variante do Caminho Novo, que ligava Minas Gerais ao Rio de Janeiro, encurtando o trajeto de Garcia Rodrigues Pais em cerca de quatro dias de viagem, por percorrer terreno menos acidentado. A Variante do Caminho Novo foi, sem dúvida, o grande fator do desenvolvimento de nossa região serrana, contribuindo para o surgimento de inúmeras sesmarias que logo se transformaram em prósperas fazendas. Bernardo Soares de Proença faleceu em 10 de julho de 1735, tendo recebido todos os sacramentos e foi sepultado na Igreja do Suruy, segundo nos informa o então vigário daquela localidade, Padre Custódio Leite.

11 de novembro de 1847

Faleceu em sua propriedade, a Fazenda Soledade, atual Fazenda de Santo Antônio, em Itaipava, o Dr. Agostinho Correia da Silva Goulão. Era o terceiro filho de Manuel Correia da Silva e D. Brites Maria da Assunção Goulão e portanto irmão do Padre Correia. O Dr. Agostinho formou-se em Coimbra, onde bacharelou-se em jurisprudência, em 1777. Voltando ao Brasil, tornou-se individualidade de certo relevo no cenário social do 1º Reinado. Dedicou-se ao magistério, à política e à agricultura. Foi professor de filosofia e retórica no Rio de Janeiro, deputado à Assembléia Geral Constituinte e Legislativa do Império, que se reuniu em 1823 e administrou sua propriedade com grande tirocínio, ali cultivando café, cereais e cana de açúcar. Morreu solteiro, aos 93 anos, tendo legado em testamento terras da Tapera a uma escrava de nome Isabel e um sítio banhado pelo córrego do Carvão a outra escrava de nome Júlia ; e a propriedade da Fazenda a Gregório José Teixeira, provavelmente seu filho natural.

 

As inclusões de Agenda, desde 2000, já se acham na versão atual.
Para consulta, ative (1) Agenda, em Categorias da barra superior,
(2) abra a de qualquer mês,
(3) ative em Categorias à direita da tela a do ano e mês que interessar.
Para acesso à versão com o conteúdo até julho de 2015, clique aqui.

Existe um servidor dedicado que permite navegar por todo o conteúdo anterior. Caso seja encontrada alguma quebra de link, favor comunicar o fato, para pronta correção.

Todos os textos do conteúdo até julho de 2015 estão sendo transferidos para a versão atual,
da qual já constam 521 trabalhos.

Desenho do brasão de Petrópolis,
segundo a descrição heráldica oficial,
Manoel de Souza Lordeiro
(+ 21/07/2008)
Texto de Notícias (a partir de 2016)
Maria de Fátima Moraes Argon 

Texto de Efemérides
Jeronymo Ferreira Alves Netto
Composição do cabeçalho,
inserido em outubro de 2016,
Mário Lordeiro,
com reprodução da Planta de Koeler
e linha do tempo a partir
da localização
da Estrada Normal da Estrela
até o Alto da Serra,
sobre reprodução de
imagem fotográfica de trecho
da Serra dos Órgãos
Coordenação do site
Arthur Leonardo de Sá Earp
Comissão de Desenvolvimento:
Arthur Leonardo de Sá Earp
Jeronymo Ferreira Alves Netto
Patrícia Ferreira de Souza Lima

Manutenção e Hospedagem : SerraPlan Informática

Os textos são de exclusiva responsabilidade de seus autores.

 

brazao4MSL