de Ruth Boucault Judice, Associada Titular, Cadeira nº 33 –

Consócios Amigos,

Se o relatório final da minha gestão, 81-82, foi de pessimismo, foi de uma realidade tristemente constatada, quero trazer com essas palavras na minha re-eleição, gentilmente solicitada por vocês, palavras de otimismo, usar o sinal positivo numa época de tantas cargas negativas!

Como já disse fizemos pouco no primeiro biênio. Mas esse pouco, já foi alguma coisa. E pouco é mais do que nada, é o começo, talvez algo de peso. Pois tudo tem seu começo. E já começamos. Vamos retomar o passado e elaborar o presente.

Quero contar com a cooperação de todos, por menor que seja vai somar no nosso computador. E ficará registrada para que cada um se conscientize do que pode fazer e qual, de fato, tem sido sua colaboração.

Temos no momento uma secretária, gentilmente cedida pelo Museu Imperial, estagiária capacitada e que, se seguir conosco como aspiramos, será de grande valor, pois será o elo entre os nossos vai-e-vem atropelados e as nossas realizações.

A pedidos, mudamos nossas reuniões de 6ª para 5ª feira às 17h45, para que terminem impreterivelmente às 19h.

Em cada reunião depois de discutidos os assuntos em pauta, teremos sempre a exposição de algum tema cultural, exposto por qualquer sócio ou por algum convidado escolhido na reunião anterior. Chegamos a fazer isso com algum sucesso, no ano passado.

Temos uma programação elaborada, já com o auxílio de nossa secretária.

Vou apresentá-lo agora a vocês e em seguida às autoridades arroladas no caso. Se tivermos aprovação geral, ou alguma modificação, enfim, depois de acertados, faremos com que as decisões sejam cumpridas.

PROJETO –

A viabilização do Museu na Casa Cláudio de Souza comportando: Setor de Teatro, Música Brasileira e Literatura Brasileira.

– Com exposição permanente: – Referente à música, teatro, literatura, etc…
– Casa Cláudio de Souza aberta a visitação.
– Exposições temporárias: – Iconográficas;
– Comemorativas
– Referentes a pesquisas realizadas sobre assuntos de música, teatro. Petrópolis e história em geral.

Atividades no local, para as seguintes clientelas:

– Comunidade e público em geral: – Pequenos concertos; diurnos e noturnos;
– Palestras;
– Concursos;
– Cursos;
– Lançamento de livros.

– Alunos de 1º e 2º graus: – Teatro;
– Música;
– Literatura;
– História da Arte e Preservação de Patrimônio.

Teríamos assim um funcionamento permanente na Casa Cláudio de Souza:

– Museu – Pró-Memoria;
– Instituto Histórico de Petrópolis; a nosso cargo;
– Centro de Pesquisa de História – Segundo convênio firmado em 5 de dezembro de 1969 entre o Instituto Histórico, o Museu Imperial, Universidade Católica e a PMP voltando à dotação anual de 20 (vinte) salários mínimos que serviriam às realizações mais concretas.

Dentro do que nos permitem os estatutos, aumentaremos, se os sócios estiverem de acordo, a anuidade para Cr$ 2.000,00 pagáveis em 2 vezes (Cr$ 1.000,00 por semestre).

Seria o que já disse uma vez, o início de possibilidades, já que para tudo precisamos de capital de giro. Não visamos lucros, mas visamos giro para novas realizações.

E agora a Revista.

Tem sido difícil. Conseguir bom preço para impressão, boa vontade na composição da mesma, auxiliares amadores na venda de anúncios, pegando uma época de recessão, somada às eleições, Natal, fim de ano. Mas temos conseguido. Nosso tesoureiro ao passar a pasta para seu substituto vai nos dar notícias que tem entrado alguns cruzeiros, além do que temos para entrar ainda.

Ficamos surpreendidos com a receptividade dos nossos anunciantes. E só não foram em número maior, porque em época de bolsas parcas, achamos por bem ficar com preços abaixo do mercado normal. Se Deus quiser ainda no verão faremos o seu lançamento.

Em seguida, começaremos a pensar no outro número da Revista.

A idéia de levar as palestras a clubes de serviço e a colégios será desenvolvida, sempre com uma porcentagem ao conferencista. Tragam-nos os assuntos e a disponibilidade de horário.

Aceitamos idéias, sugestões, correções, críticas. Estamos abertos a todos os consócios. E esperamos corresponder à confiança depositada em nossa pessoa e nos nossos auxiliares.

Se o Instituto Histórico é respeitado, é graças ao que já fez até os dias de hoje. Queremos que, a partir de agora, além de respeitado, passe a ser uma nova esperança nesta cidade ávida de realizações.