ALGUMAS DATAS ANTERIORES A 17 DE JUNHO DE 1859

Gabriel Kopke Fróes

30-4-1531 – Registro, no “Diário de Navegação” da esquadra de Martim Afonso de Souza, ancorada na bahia de Guanabara, da incursão de quatro homens pela terra a dentro, através a Serra dos Órgãos, presumivelmente pelo futuro Córrego Sêco.

11-11-1721 – Requerimento por Bernardo Soares de Proença da sesmaria onde se achavam localisadas as terras da futura fazenda do Córrego Sêco.

12-11-1721 – Requerimento pelo Capitão Luiz Peixoto da Silva da sesmaria do Rio da Cidade.

11-10-1724 – Carta do governador Aires de Saldanha Albuquerque a D. João V., anunciando a abertura, pelo sargento-mor Bernardo Soares de Proença, do caminho novo para as Minas pela freguesia de Inhomirim.

6-7-1725 – Carta de Lisbôa de D. João V mandando elogiar e agradecer ao sargento-mór Bernardo Soares de Proença a construção do “Novo Caminho de Minas”, pela freguesia de Inhomirim.

9-7-1735 – Falecimento em Suruí de Bernardo Soares Proença.

6-8-1741 – Concessão a Francisco Muniz de Albuquerque da sesmaria do Piabanha e Rio da Cidade.

29-10-1749 – Provisão concedendo a Manuel Antunes Goulão, sesmeiro de terras compreendidas entre a fazenda do Itamarati e Pedro do Rio, licença para construção de uma capela com invocação a N. S. do Amor Divino.

29-10-1751 – Inauguração na fazenda dos Corrêas da capela de N. S. do Amor Divino.

12-6-1789 – O Córrego Sêco passa a fazer parte da Vila de Magé.

1-3-1798 – Concessão a Francisco Xavier da Cruz de uma sesmaria nos sertões do Rio Prêto, terras essas que viriam a constituir S. José do Rio Prêto.

29-11-1803 – Nascimento na fazenda do Córrego Sêco de Saturnino de Souza e Oliveira Coutinho que haveria de ser o primeiro petropolitano ilustre.

7-4-1806 – Inauguração na fazenda do Córrego Sêco do Oratório de Santana.

28-8-1809 – Passagem pelo Córrego Sêco do escritor viajante John Mawe, o primeiro inglês autorizado a visitar as Minas.

6-7-1811 – Guilherme Luiz Eschwege, nobre alemão autor da obra “Pluto Brasiliensis”, passa pelo Córrego Sêco, ao dirigir-se para a fazenda da Olaria.

20-9-1813 – Criação do curato de S. José do Sumidouro desmembrado das freguesias de Inhomirim e Magé e incorporado ao município de Cantagalo. Esse curato, mais tarde elevado a freguesia com o nome de S. José da Serra, viria a constituir S. José do Rio Prêto.

9-3-1814 – Incorporação da região do Córrego Sêco ao novo municipio de Cantagalo.

25-11-1815 – Elevação do curato de S. José do Sumidouro a categoria de freguesia com a denominação de S. José da Serra.

20-1-1818 – Passagem pela fazenda dos Corrêas do naturalista francês Augusto de Saint-Hilaire.

26-3-1822 – Passagem pelo Córrego Sêco, pela primeira vez, e pernoite na fazenda dos Corrêas, de D. Pedro I, quando se dirigia para Vila Rica.

12-4-1823 – Passagem do brigadeiro Cunha Matos pela fazenda do Córrego Sêco.

17-4-1828 – Entrada na posse legitima da fazenda do Córrego Sêco do sargento-mór José Vieira Afonso.

4-12-1829 – Chegada à fazenda dos Corrêas da Familia Imperial, levando a princêsa D. Paula para uma estação de cura.

1-2-1830 – Autorização de D. Pedro I a João da Rocha Pinto para, em nome de Sua Majestade, comprar a José Vieira Afonso a fazenda do Córrego Sêco.

6-2-1830 – Compra da fazenda do Córrego Sêco por vinte contos de réis feita por D. Pedro I a José Vieira Afonso.

14-5-1830 – Autorização, por decreto de D. Pedro I, a João Chatel e sua mulher para morarem na fazenda do Córrego Sêco.

30-12-1830 – Passagem pelo Córrego Sêco de D. Pedro I e da Imperatriz D. Amélia que pernoitam em Corrêas.

22-6-1832 – Arrendamento da fazenda do Córrego Sêco por um conto e oitocentos mil réis anuais e pelo prazo de nove anos a Tomás Gonçalves Dias Goulão.

15-1-1833 – Incorporação do Córrego Sêco, como parte integrante da freguesia de S. José do Rio Prêto, à Vila de Paraíba do Sul.

9-3-1835 – Carta de Luiz Aleixo Boulanger, professor de D. Pedro II, em vilegiatura no Córrego Sêco, dirigida a Paulo Barbosa relativamente ao aniverário da Princêsa Januária.

14-4-1835 – Promulgação da lei provincial nº 26, autorizando a construção de uma estrada de rodagem ligando o pôrto da Estrêla às margens do rio Paraibuna.

12-11-1837 – Chegada de colonos alemães que são levados para o Itamaratí.

3-3-1840 – Realização na fazenda do Itamaratí do primeiro batizado evangélico.

12-5-1840 – Promulgação da lei provincial nº 193, mandando abrir uma nova estrada que, da vila da Estrêla, conduzisse ao Paraibuna.

27-5-1840 – Autorização ao govêrno provincial pela lei nº 219 para contratar o serviço de navegação a vapor entre a cidade do Rio de Janeiro e o pôrto da Estrêla.

11-1-1843 – Início dos trabalhos de construção da Estrada Normal da Estrêla sob a direção do engenheiro Charles Rivière.

16-3-1843 – Aprovação por decreto de D. Pedro II do plano apresentado por Paulo Barbosa da Silva para constituir em povoação a fazenda do Córrego Sêco.

8-7-1843 – Expedição da portaria do presidente da província João Caldas Viana, ordenando a construção de duas cruzes de madeira e o levantamento de um poste no antigo Córrego Sêco, contendo o nome de “Petrópolis”.

26-7-1843 – Arrendamento a Julio Koeler da fazenda do Córrego Sêco.

13-10-1843 – Chegada a Petrópolis, em viagem de estudo, do explorador e cientista francês Francis de la Porte, conde de Castelnau.

17-10-1843 – Início das obras de construção do Palácio Imperial.

30-10-1843 – Expedição por Paulo Barbosa ao major Júlio Koeler das instruções para o aforamento dos terrenos que devem formar a futura Petrópolis na Imperial fazenda do Córrego Sêco.

29-3-1844 – Criação na freguesia de S. José do Rio Prêto, têrmo de Paraíba do Sul, do 2º distrito com a denominação de Petrópolis, contendo uma sub-delegacia de polícia e um Juizo de Paz.

17-6-1844 – Contrato da província do Rio de Janeiro com Charles Delrue & Cia., para introdução de 600 colonos alemães em Petrópolis.

15-1-1845 – Entrega ao Major Koeler da direção das obras de construção do Palácio Imperial de Petrópolis.

24-3-1845 – Início do serviço de navegação a vapor entre a Côrte e o pôrto da Estrêla.

28-5-1845 – Convocação feita por Koeler para que os subscritores de ações da Companhia de Petrópolis se reunam em assembléia geral.

9-6-1845 – Chegada ao Rio de Janeiro da primeira turma de colonos alemães contratados pela província do Rio de Janeiro com a firma Charles Delrue.

29-6-1845 – Chegada a Petrópolis dos primeiros colonos alemães contratados com Charles Delrue & Cia.

1-8-1845 – Atos do Bispo do Rio de Janeiro, a pedido de Paulo Barbosa, elevando a curato a capela da Imperial Fazenda de Petrópolis, e mandando benzer o terreno destinado a cemitério.

16-8-1845 – Nomeação do dr. Guilherme Boedecker para médico da Imperial Fazenda de Petrópolis.

11-9-1845 – Decreto do Imperador nomeando o dr. Antonio Alves da Silva Pinto, tesoureiro da obra de construção da igreja de S. Pedro de Alcântara.

19-9-1845 – Nomeação do dr. Carlos Melchior para médico da Imperial Fazenda de Petrópolis.

10-1-1846 – Criação e regulamentação pelo govêrno provincial da Caixa de Socorro dos Colonos de Petrópolis.

21-1-1846 – Posse de Koeler no cargo de diretor da Colônia.

16-4-1846 – Criação pelo govêrno provincial do Conselho Diretor da Colônia de Petrópolis.

14-5-1846 – Nomeação do major Koeler para o cargo de superintendente da Imperial Fazenda de Petrópolis.

14-5-1846 – Expedição do decreto nº 262, pelo qual o mordomo imperial é autorizado pelo Imperador a aceitar a doação que lhe fizera o major Julio Koeler da fazenda da Quitandinha.

20-5-1846 – Criação, pela lei provincial nº 397, da freguesia de S. Pedro de Alcântara, cujo território, desmembrado da freguesia de S. José do Rio Prêto, passa a fazer parte do têrmo da Estrêla.

3-6-1846 – Assinatura da escritura de doação da fazenda de Quitandinha a D. Pedro II.

25-6-1846 – Expedição, pela mordomia da Casa Imperial, do regulamento para medição e demarcação dos prazos de terra de Petrópolis.

30-6-1846 – Missa rezada pelo núncio apostólico monsenhor Bedini – a primeira realizada em Petrópolis – ante uma cruz de madeira levantada na praça da Confluência.

19-7-1846 – Celebração pelo pastor protestante Lallemant, na praça da Confluência, da primeira cerimônia religiosa dos colonos alemães de Petrópolis.

27-9-1846 – Visita a Petrópolis da vienense Ida Pfeiffer acompanhada do conde Berchthold.

26-10-1846 – Criação pelo govêrno provincial das duas primeiras escolas públicas primárias em Petrópolis

26-5-1847 – Aprovação pelo govêrno provincial do regulamento para a Imperial Colônia de Petrópolis e 2ª seção das obras da Estrada Normal da Estrêla.

1-6-1847 – Início do aforamento dos prazos de terra da Imperial Fazenda de Petrópolis.

28-8-1847 – Remoção de Valença para Petrópolis, afim de reger a escola primária feminina recem-criada pelo govêrno provincial, da professora D. Zeferina Josefa Pinto de Bulhões.

17-9-1847 – Posse de Galdino Justiniano da Silva Pimentel no cargo de diretor da Colônia de Petrópolis.

8-10-1847 – Chegada a Petrópolis de Sua Majestade o Imperador que se hospeda na Casa da Fazenda.

21-11-1847 – Morte trágica do major Julio Frederico Koeler, vitimado por tiro de revólver disparado casualmente pelo seu amigo Francisco Alves de Brito.

24-11-1847 – Nomeação para superintendente interino, por portaria do Mordomo Imperial, de José Alexandre Alves Pereira Ribeiro Cirne.

2-1-1848 – Chegada a Petrópolis de Suas Majestades Imperiais.

6-4-1848 – Nomeação de Bento Antonio Luiz Ferreira para médico da Imperial Fazenda de Petrópolis.

5-6-1848 – Nascimento em Petrópolis de Marciano Augusto Botelho de Magalhães que viria a ser um dos mais distintos oficiais generais do Exército Nacional.

19-6-1848 – Nomeação do dr. Julius Friederich Lippold para cura dos protestantes.

8-10-1848 – Criação da Agência do Correio de Petrópolis.

8-10-1848 – Entrega ao padre Franscisco Antonio Weber da capela provisória mandada construir à rua da Imperatriz pelo govêrno provincial.

21-10-1848 – Nomeação de Antonio José Corrêa Lima para o cargo de agente do Correio.

25-11-1848 – Inauguração, à rua do Imperador, do Hotel Bragança sob a direção do Dr. Tomás Charbonnier.

1-2-1849 – Chegada a Petrópolis da Família Imperial que passa a ocupar o Palácio Imperial ainda inacabado.

3-2-1849 – Primeira visita de Sua Majestade o Imperador ao túmulo do Major Koeler.

13-3-1849 – Nomeação por decreto imperial de José Alexandre Alves Pereira Ribeiro Cirne para o cargo de superintendente da Imperial Fazenda de Petrópolis.

15-3-1849 – Expedição do decreto imperial nº 184, abrindo o crédito de dois contos de réis para comprar a Tomás Gonçalves Dias Goulão as terras do Retiro.

1-1-1850 – Inauguração, à rua Nassáu, do colégio Kopke.

19-1-1850 – Publicação, na Revista Popular do Rio de Janeiro das cinco poesias de Joaquim Norberto de Sousa e Silva, sob o título “Petrópolis”.

31-1-1850 – Expedição do decreto imperial nº 518, concedendo aos colonos estrangeiros de Petrópolis o direito à naturalização imediata e gratuita.

10-5-1850 – Nomeação do novo médico da Imperial Fazenda de Petrópolis, dr. Antonio Pereira de Barros.

15-9-1850 – Posse de José Luiz de Azeredo Coutinho no cargo de diretor da Colônia.

10-11-1850 – Nascimento, em Petrópolis, de Guilherme Augusto de Sousa Leite, futuro barão de Aguas Claras.

28-6-1851 – Aprovação, pelo govêrno provincial, do estatuto do colégio de João Batista Calógeras, em Petrópolis.

30-7-1851 – Nomeação pelo govêrno provincial de uma comissão para promover a canalização de água da “Garganta” para o abastecimento da cidade.

5-8-1851 – Aprovação do estatuto do colégio Kopke pelo govêrno provincial.

11-12-1851 – Passagem por Petrópolis de Hermann Burmeister, autor da “Reise in Brasilien”.

26-1-1852 – Falecimento em S. José do Rio Prêto do sargento-mór José Vieira Afonso.

6-4-1852 – Expedição pelo govêrno provincial de instruções para conservação da Estrada Normal da Estrêla.

27-4-1852 – Celebração de contrato entre a província do Rio de Janeiro e Irineu Evangelista de Sousa, para construção de uma estrada de ferro entre o pôrto de Mauá e a raiz da serra de Petrópolis.

7-6-1852 – Falecimento, no Rio de Janeiro, do pastor evangélico de Petrópolis, Julius Friederich Lippold.

12-6-1852 – Concessão a Irineu Evagelista de Souza do privilégio, por dez anos, do serviço de navegação a vapor entre a cidade do Rio de Janeiro e o pôrto da Estrêla.

29-8-1852 – Início das obras de construção da estrada de ferro ligando o pôrto de Mauá à raiz da serra de Petrópolis com a presença do Imperador.

27-11-1852 – Nascimento, em Petrópolis, de João Kopke, o primeiro cidadão petropolitano que viria a se formar em direito, tornando-se ainda um educador de renome nacional.

13-12-1852 – Expedição do decreto imperial nº 1.088, concedendo a Irineu Evangelista de Souza privilégio para construção e exploração de uma estrada de ferro entre Petrópolis e Pôrto Novo do Cunha.

29-12-1852 – Aprovação do estatuto da Imperial Companhia de Navegação a Vapor e Estrada de Ferro de Petrópolis pelo decreto imperial nº 1.101.

9-5-1853 – Nomeação, por decreto imperial, de José Maria Jacinto Rebelo para o cargo de superintendente da Imperial Fazenda de Petrópolis.

16-12-1853 – Fundação da Sociedade de Agricultura e Indústria de Petrópolis.

31-12-1853 – Fundação da Irmandade do S. S. Sacramento da Freguesia de S. Pedro de Alcântara de Petrópolis.

12-1-1854 – Nomeação do padre e professor dr. Teodoro Wiedmann para cura dos alemães católicos da freguesia de S. Pedro de Alcântara.

30-4-1854 – Inauguração, pela Companhia de Navegação a Vapor e Estrada de Ferro de Petrópolis, do primeiro trecho da estrada de ferro, numa extensão de quatorze quilômetros e meio, compreendido entre Mauá e o Fragoso.

27-7-1854 – Autorização do govêrno provincial para a compra, a João Adão Melches e Baltazar Statzner, de terrenos necessários à instalação do novo cemitério.

25-9-1954 – Promulgação da lei provincial nº 51 que autoriza Mariano Procópio Ferreira Lage a construir uma estrada para carros que, partindo de Petrópolis, vá terminar na margem do rio Paraíba.

1-12-1854 – Falecimento do pároco Luiz Gonçalves Dias Corrêa.

25-12-1854 – Nascimento de José Tomás da Porciuncula que viria a ser um dos mais ilustres cidadãos petropolitanos.

1-1-1855 – Posse do padre José Antonio de Melo no cargo de vigário da freguesia de S. Pedro de Alcântara.

30-4-1855 – Leilão do prédio e terreno do antigo Hotel Suiço de Francisco Gabriel Chifelle, o primeiro, provavelmente, realizado em Petrópolis.

12-8-1855 – Instalação definitiva da Irmandade do Santíssimo Sacramento da Freguesia de S. Pedro de Alcântara.

2-10-1855 – Aparecimento do primeiro caso de “cholera-morbus” da epidemia que duraria até o 15 de Dezembro imediato.

12-10-1855 – Determinação pelo govêrno provincial das primeiras providências para a construção do matadouro no terreno recem comprado na Westphalia.

18-10-1855 – Subvencionamento, pelo decreto nº 819 do govêrno provincial, dos colégios dirigidos pelo dr. Henrique Kopke e João Batista Calógeras.

11-4-1856 – Visita do Imperador, em companhia do presidente da provincia dr. Melo Franco e de Mariano Procópio, da picada por onde deveria seguir a estrada União e Industria.

12-4-1856 – Início da construção da estrada União e Indústria, achando-se presente à solenidade Sua Majestade o Imperador.

14-4-1856 – Visita do Imperador às obras de abertura da estrada para o Patí do Alferes.

30-9-1856 – Regulamentação, pelo govêrno provincial, do serviço de abastecimento de agua à colônia.

16-12-1856 – Chegada à raiz da serra de Petrópolis dos trilhos da estrada de ferro projetada numa extensão de 16, Km 233 pela Companhia de Navegação a Vapor e Estrada de Ferro de Petrópolis.

7-1-1857 – Indeferimento, pelo Ministro da Guerra, do pedido de licença do coronel Amaro Emílio da Veiga para assumir o cargo de 1º Juiz de Paz da freguesia de S. Pedro de Alcântara para o qual fôra eleito.

13-2-1857 – Início de funcionamento na Westphalia do matadouro público, deixando-se de abater gado na praça D. Afonso.

3-3-1857 – Aparecimento, sob a direção de Bartolomeu Pereira Sudré, do “Mercantil”, o primeiro jornal publicado em Petrópolis.

29-4-1857 – Visita de D. Pedro II ao Colégio Kopke.

16-5-1857 – Posse do Major Sergio Marcondes de Andrade no cargo de diretor da colônia.

1-8-1857 – Inauguração do telégrafo elétrico entre o Rio de Janeiro e Petrópolis, sendo José Francisco de Matos o primeiro encarregado da estação de Petrópolis.

2-8-1857 – Fundação da Sociedade Dramática Particular Talia.

23-8-1857 – Realização no prado do Fragoso da primeira corrida de cavalos do Jockey Club de Petrópolis.

29-9-1857 – Promulgação da lei provincial nº 961, criando o Municipio de Petrópolis.

9-10-1857 – Determinação, pelo presidente da provincia Dr. Inácio Francisco da Silveira, das primeiras providências para a eleição dos Vereadores à Câmara Municipal de Petrópolis.

22-11-1857 – Realização das primeiras eleições para composição da Câmara Municipal de Petrópolis, as quais viriam a ser anuladas no ano seguinte.

2-12-1857 – Aparecimento de “O Paraíba”, jornal bi-semanal dirigido por A. E. Zaluar.

6-12-1857 – Inauguração do Teatro Progresso Petropolitano com a estréia da Companhia do sr. Florindo composta de 29 figuras.

1-1-1858 – Chegada a Petrópolis de Suas Majestades Imperiais.

5-1-1858 – Publicação do primeiro número de “Brasilia”, periódico redigido em alemão por G. F. Busch.

21-1-1858 – Estadia em Petrópolis de Vitor Frond que preparava, então, sua obra “Brasil Pitoresco”.

24-1-1858 – Falecimento em Petrópolis, vitimado pela febre amarela, do sr. Alexandre Wendling, consul geral das Duas Cecilias, a quem, dias antes, o Imperador visitára.

17-2-1858 – Nomeação pelo govêrno provincial do major Sergio Marcondes de Andrade para o cargo de diretor da colônia de Petrópolis.

17-3-1858 – Aprovação pelo govêrno provincial do regulamento provisório para a conservação, trânsito e polícia das estradas de rodagem a cargo da Companhia União e Indústria.

18-8-1858 – Inauguração da primeira seção da estrada União e Indústria, trecho com 33 quilômetros compreendido entre a Vila Terêsa e Pedro do Rio.

19-4-1858 – Inauguração na praça Nassau da escola de música da colônia.

27-4-1858 – Visita do Imperador ao Colégio Kopke.

28-4-1858 – Visita do Imperador ao Colégio Calógeras.

1-5-1858 – Exoneração de José Maria Jacinto Rebelo do cargo de superintendente da Imperial Fazenda de Petrópolis.

2-5-1858 – Posse do coronel Vicente Marques Lisbôa no cargo de superintendente da Imperial Fazenda de Petrópolis.

2-6-1858 – Anulação, por aviso do Ministério do Império, das eleições para composição da Câmara Municipal de Petrópolis, realizadas no ano anterior.

13-6-1858 – Posse do novo vigário da freguesia de S. Pedro de Alcântara, padre Nicoláu Germain.

6-7-1858 – Morte do francês Afonso Diemer, diretor do Colégio Diemer, vitimado pela febre amarela.

15-7-1858 – Abertura do Colégio Dromond sob a direção de Felisberto Alexandre Dromond.

22-7-1858 – Notícia de “O Paraíba”, com grande melhoramento urbano, da próxima canalização do rio que corta a rua do Imperador em toda a sua extensão.

15-8-1858 – Fundação da Irmandade de S José do Rio Prêto.

7-9-1858 – Realização, pela segunda vez, da eleição para composição da Câmara Municipal de Petrópolis, eleição essa que, como já acontecera com a primeira, viria a ser anulada.

6-10-1858 – Criação no Termo de Petrópolis, pelo decreto imperial nº 2.271, do cargo de Juiz Municipal.

7-10-1858 – Nomeação do bacharel Antonio Moreira Tavares para o cargo de Juiz Municipal.

9-11-1858 – Inauguração da Agência do Correio de Petrópolis

7-1-1859 – Visita a Petrópolis de Francisco Adolfo Warnhagen.

10-1-1859 – Chegada a Petrópolis da Família Imperial.

12-1-1859 – Anulação, pelo Ministério do Império, das eleições para composição da Câmara Municipal de Petrópolis, realizadas em 7 de Setembro do ano anterior.

13-1-1859 – Inauguração, em uma sala da Diretoria da Colônia da exposição de trabalhos de senhoras de Petrópolis, promovendo-se uma rifa em beneficio dos desvalidos da colônia.

14-1-1859 – Posse do Dr. Antonio Moreira Tavares do cargo de delegado de polícia.

14-1-1859 – Visita a Petrópolis do poeta Antonio Gonçalves Dias.

15-1-1859 – Início de funcionamento no Alto da Serra, sob protestos gerais, da primeira barreira da administração provincial.

22-1-1859 – Designação, pelo govêrno provincial, do dia 13 de Março de 1859 para a realização da eleição que, afinal, seria a definitiva, para composição da Câmara Municipal de Petrópolis.

1-2-1859 – Excursão, a cavalo, do Imperador a Patí do Alferes.

13-3-1859 – Realização das eleições dos vereadores à Câmara Municipal de Petrópolis.

8-2-1859 – Charles Ribeyrolles e Vitor Frond chegam a Petrópolis.

26-4-1859 – Visita do Imperador a Pedro do Rio.

11-6-1859 – Designação, pela Câmara Municipal da Estrêla, do dia 17 de Junho de 1859, sexta-feira, para instalação da Câmara Municipal de Petrópolis.

NOTA

O que ora publicamos, emprestando nossa despretenciosa colaboração ao 1º Congresso de História Petropolitana promovido pelo Instituto Histórico de Petrópolis, faz parte de obra de maior vulto iniciada por Alcindo Sodré e por nós continuada: As Efemérides Petropolitanas. Essa obra que deveria ser completada pelo seu próprio iniciador, apenas com a nossa colaboração de pesquisador paciente, teve de prosseguir, no entanto, sob a nossa exclusiva responsabilidade, já que Alcindo Sodré, o mestre da história petropolitana, faleceu, inesperadamente, no ano findo.

Daí, as lacunas e possiveis falhas históricas e literárias dêste trabalhos.

Valha-nos, porém, a intenção de colaborarmos, de alguma maneira, com os estudiosos da história petropolitana, e, principalmente, de reverenciarmos, no primeiro congresso de história que se reune em Petrópolis, a memória do idealizador das “Efemérides Petropolitanas” e amante extremado das coisas da nossa terra que foi Alcindo Sodré. A êsse grande amigo dedicamos, portanto, comovidamente, o primeiro fruto do nosso estudo.

G. K. F.